Esboços e o processo do desenho técnico (Parte3)

3. O papel da imagem na criatividade e na descoberta
Duas áreas de investigação que se relacionam com as imagens para a criatividade e a descoberta são relevantes para a questão do papel do desenho no processo do desenvolvimento do produto. O primeiro surgiu na psicologia cognitiva sobre se a imagem de um objecto que é funcionalmente e equivalente à percepção directa do mesmo objecto. A segunda envolve o uso de uma tarefa de síntese mental, onde os participantes são convidados a formar uma imagem a partir de três formas simples seleccionadas aleatoriamente. A discussão a seguir apresenta um resumo dos resultados dessa pesquisa e em seguida explora suas implicações para o processo do desenho.

Esboços e o processo do desenho técnico (Parte2)

1.3. Experiência na resolução de problemas físicos
O processo de aprendizagem em como desenhar e usar diagramas poderia estar no centro de uma perícia física não só para os alunos novatos assim como também para os físicos perito. Investigação sobre as diferenças entre especialistas e iniciantes na resolução de problemas físicos não foi inicialmente preocupado com as questões relativas ao uso de diagramas, em vez disso a ênfase era sobre os tipos de conhecimento que serviu de base para o processo de raciocínio e das características do processo de raciocínio em si, por exemplo os especialistas apresentavam problemas em abstracto ou seja em termos conceituais, enquanto os novatos usavam ​​conceitos ingénuos que se relacionam com o mundo real. Os especialistas também possuem conhecimento processuais bem como o domínio para resolver problemas específicos, tendo a particular forma de raciocínio de “pra frente” a partir do caminho da informação dada no enunciado do problema para o objectivo, enquanto os novatos usam uma estratégia de raciocínio “pra trás” sendo menos eficiente que é a partir do objectivo de subjectivos.

Esboços e o processo do desenho técnico (Parte1)

Uma característica num processo de um projecto nas áreas do desenho é se usado diferentes tipos de esboços. Os diferentes tipos de esboços estão associados com diferentes tipo de estágios no processo com um tipo de esboço relativamente desestruturado e ambíguo, ocorrendo isto no início do processo. Os desenhadores dão grande ênfase ao esboço e por muitas vezes porque se é pensado estar associado com a inovação e criatividade. Devido a essa ênfase alguns investigadores têm começado a concentrar no esboço e sua importância no desenho técnico, sendo aqui abordada a relação dos esboços na resolução de problemas de outras áreas, podendo no entanto ser se relacionado com áreas de psicologia cognitiva e da ciência cognitiva. Aqui haverá uma descrição bastante de enquadramentos teóricos, através de metodologias experimentais sendo assim e um tipo de conceitos consideráveis que poderão resultar em pesquisas que podem se ser de um grande potencial para a investigação do desenho. Um dos objectivos pode a análise de três áreas, a memória de trabalho, a reinterpretação de imagens, e síntese mental, e suas implicações para a investigação do desenho técnico em geral, mas com uma ênfase particular sobre o esboço do desenho.

friends

“Friends”, as jantaradas e as saídas, a companhia dos amigos de longa data, foi comemorada no Fábulas do Belarmino Teixeira é um restaurante ou uma galeria ou um bar, escondido no Chiado, um local agradável com paredes em pedra e com mobiliário antigo, sendo que algumas das mesas são antigas máquinas de costura, tornando assim o espaço labiríntico com as várias salas criativamente decoradas com mobiliário adquirido em antiquários e lojas de velharias, tendo uma explana bastante agradável. Algumas das imagens abaixo mostram o que se pode encontrar no local.

Visualizador 3D em telemóveis

Há pouco tempo o telemóvel SonyEricsson w595, como se vê IMAGEM01 que possuía deixou de funcionar uma das teclas do cursor (botão do lado esquerdo), passado umas semanas o botão de desligar deixou de funcionar o caso começou e ficar complicado pelo fui ver o talão de compra e já tinha passado mais do que dois anos, o que significa que já tinha passado da garantia. Agora o que fazer ao telemóvel antigo, desmontar e tentar fazer um brinquedo qualquer, mas ainda sem ideias por enquanto (sempre disponível).
imagem01
IMAGEM01

Percepção

Uma pessoa estar de frente de uma das pinturas 3D de pintor como Patrick Hughes provavelmente pode-se sentir desorientado. Se uma pessoa olhar para o seu trabalho de frente, parece que se está olhando para uma superfície plana. Mas se mover a cabeça de um lado para o outro a perspectiva fica distorcida muito mais do que o esperado. Embora nada se compara à experiência real, o vídeo acima lhe dará uma sensação de ilusão.

Modelação de um cubo

Uma possível abordagem para a modelação de objectos heterogêneos contendo estruturas internas volumétricas com as dimensões dos detalhes com ordens de grandeza menores do que a dimensão total do objecto, assim como o procedimento da representação da função base em propostas que fornecem formas mais compactas, precisas, e de modelos arbitrariamente parametrizados com microestruturas coerentes que podem sofrer deformações mistura, e outras operações geométricas podendo ser apresentados através de imagens, ou ainda podem ser directamente fabricados após a geração das representações auxiliares das malhas ou poligonais. Em particular a modelação de malhas regulares e microestruturas celulares assim como irregulares interstícios é discutida por um número grande de pessoas, mas pode-se sempre tentar apresentar um método para estimar os parâmetros de um dado modelo para o processamento e fabricação de modelos digitais de microestrutura que são apresentados.

Morto-vivo

Se um exército de mortos vivos invasores estão para a sua porta de entrada, não se deve de preocupar: uma fechadura da porta activada através da impressão digital pode salvar sua vida. Isto porque um grupo de investigadores conseguiu fazer com que um digitalizador biométrico pode manter os mortos-vivos fora.

Processo de digitalização 3D

Para alguém que esteja a ter o primeiro contacto com o mundo da digitalização, todo o processo pode parecer confuso, as luzes brancas, lasers, ponto de nuvens, sprays, pós-processamento e malhas poligonais isto tudo pode apresentar assustador a primeiro e possivelmente juntamente com os preconceitos bem-intencionados de outras pessoas, é fácil ficar desiludido com a sobrecarga de dados, a digitalização pode aparecer semelhante a descobrir os segredos da alquimia mas na sua essência as directorias principais não são tão difíceis de perceber.
imagem

Um exercício para criar e alterar modelos CAD

Actualmente os sistemas de CAD – “Desenho Assistido por Computado” são uma ferramenta omnipresente na vida académica que permite ser utilizada para inúmeros fins no âmbito da engenharia, assim aproveitando ao máximo os recursos disponíveis dos sistemas de CAD contemporâneos exige que os modelos sejam criados de uma forma que permita as outros pessoas facilmente te entender como os desenhos estão organizados e consegui-los alterá-los de uma forma eficiente e robusta. Os resultados de um exercício baseado das aulas práticas é apresentado para examinar o papel dos atributos do modelo de criação do modelo, alteração, e da percepção como aluno estudante. Dois sistemas CAD são utilizados para o exercício o SolidWorks e Autodesk Inventor. Os resultados gerais de ambos os programas são relatados com algumas correlações na optimização do tempo de modelação, isto através sem a alteração dos recursos pelo que as formas complexas são mais difíceis de fazer correlações com novas funcionalidades. Como estudante a percepções da qualidade do modelo e intuição são correlacionados positivamente com a quantidade de reutilização de recursos mais simples e a nomeação desses recursos e o uso de nomeação dos recursos e das geometrias de referência, mas não se consegue fazer uma aproximação genérica do recurso complexo e a fixação do recurso do modelo em causa. Em geral, a intenção do desenho é transmitir adequadamente demonstrando estar positivamente correlacionada com a retenção do desenho e negativamente correlacionados com o tempo de alteração.
1. Introdução
Como aluno de engenharia quando ingressar no mercado de trabalho aonde encontrara um ambiente profissional onde as ferramentas como os sistemas de CAD estão omnipresentes, neste ambiente digital global as bases de dados de CAD são utilizados em todo o processo de comercialização do produto, além de seu propósito inicial de criação de desenho detalhado para uso na manufactura de produto, estes dados são usados ​​para ferramentas de fabricação e maquinação, a simulação de elementos finitos, e de outras inúmeras actividades do desenvolvimento do processo do produto. Os sistemas de CAD podem ser usado por engenheiros localizados em qualquer parte do mundo para promoverem projectos de desenvolvimento global. A PLM – “gestão do ciclo de vida do produto” permite aos engenheiros aceder de uma forma compreensível às abrangentes bibliotecas de modelos CAD e fazer alterações para sobre um determinado modelos e com o acompanhamento do histórico desses modelos, estas ferramentas PLM também facilitam globalmente a engenharia e melhoram o desenvolvimento dos processos. As ferramentas de CAD e PLM tem o potencial de aumentar o desenvolvimento da eficiência no entanto para aproveitar o potencial destas ferramentas deve ser utilizado por desenhadores qualificados, isto pode ser aplicado logo na fase inicial para aumentar a habilidade impulsionada por estas ferramentas.
Para alavancar o potencial dos sistemas de CAD contemporâneos e criar modelos que sejam facilmente compreendidos e alteráveis, deve de ser instruir a expressar correctamente a intenção da projecção de um determinado modelo. A maioria das educações em sistemas de CAD actualmente é focado no ensino de conhecimentos declarativos, sendo apenas essencial o traço e a forma de pressionar em determinado ícone numa determinada altura para realizar determinadas tarefas em determinados sistemas de CAD específico, então assim a intenção do projecto de desenho que se enquadra na categoria de conhecimento estratégico, esta falta de habilidade de modelação é evidente em ambientes industriais, isto acontece com engenheiros e os respectivos formadores, os seus resultados ilustram a importância de transmitir correctamente a intenção do desenho. A maioria dos engenheiros acham que é difícil encontrar parâmetros no desenho ou de determinar as relações paramétricas assim como ainda mais pessoas afirmam que é difícil alterar parametricamente modelos CAD que tenha sido desenhado por terceiros, assim determinados especialistas CAD concluem que os desenhos dos modelos e dos desenhos conjuntos não estavam bem estruturados e eram difíceis de alterar, pelo que não usaram a aplicação de CAD adequada necessária para o projecto.
Este conhecimento estratégico de modelação paramétrica é também o tipo de conhecimento que é transmissível entre os sistemas CAD.
Enquanto algumas aplicações de modelação CAD tem protesto numerosas melhorarias nas comunicações e nas intenções do projecto que associam a utilizadores especialistas em CAD, mas são por vezes contraditórias ou limitadas e geralmente não suportada por evidências empíricas, uma abordagem genérica pode ser utilizar a criação de “features”, através de desenhos iniciais complexos, podendo estes desenhos simples com a experiencia do utilizador de CAD, que pode apontar a uma abordagem a necessidade de uma abordagem mais genérica para criar modelos bem estruturados que permitam a plena capacidade de usabilidade dos sistemas de sistemas CAD mais actuais a ser utilizados. Conforme aumenta o uso de sistemas de gestão dos programas de CAD, a importância de uma abordagem genérica para a modelação e a capacidade dos estudantes de compreender os aumentos procedimentos do desenho de modelação. Para aumentar a capacidade dos pensamentos destaca-se a necessidade de exercícios que se concentram em pensamentos de alto nível, podendo-se observar nessa necessidade dos exercícios que ensinam a criação do modelo CAD, bem como a sua alteração, e ainda pode-se observa que os desenhadores peritos são mais propensos a escolher uma estratégia de modelação CAD que é mais fácil de alterar. De uma forma a tentar reflectir sobre um exercício sobre a forma de proporcionar a estudantes de forma pedagógica de criar e alterar um modelo que não tenha sido criado por si ou alguém conhecido, podendo haver falta de resultados mas sendo estes talvez empíricos para como é abordado o desenho de modelação geométrico e a facilidade de alteração e percepção modelo CAD, podendo talvez melhorar o ensino da modelação CAD.
2. Antecedentes e motivação
Transformando conceitos e ideias em produtos comercializáveis ​​é o núcleo do desenvolvimento de processos, no ambiente da actual engenharia, tendo os sistemas de CAD desempenho um papel fundamental neste processo, pelo que que os sistemas CAD têm contribuído para a redução do tempo de ciclo de desenvolvimento de produto para a produção física do produto para quase metade do tempo do ciclo de desenvolvimento o que proporcionou bastantes benefícios, e através dessas ferramentas dos sistemas de CAD pode-se com facilidade e rapidamente e eficiente alterações dos desenhos técnicos assim ter-se a capacidade de modificar os projectos que provem de um cliente diferente. Quando combinado os sistemas de CAD com aplicações de gestão do ciclo de vida de produtos (PLM), sistemas que armazenam e fornecem acesso à informação, CAD e PLM pode levar a benefícios ainda maiores e facilitar os projectos num desenvolvimento global, no entanto todos esses benefícios são baseadas em ferramentas de CAD e PLM sendo usado por pessoas com formação adequada que produzem os modelos que podem ser facilmente entendidos e alterados. Sendo que as empresas aonde se implemente sistemas de CAD terão a habilidade e com uma aprendizagem.
Numa maioria dos sistemas de CAD as evidências quantitativas da maioria dos modelos CAD são difíceis de entender e mal estruturados, essa falta de estrutura e capacidade de comunicação deve à intenção de projecto com pouca informação, sendo que a apropriada a intenção do projecto permite que um modelo seja facilmente alterado e ainda realizar sua função pretendida. A intenção do projecto abrange todas as decisões importantes relacionadas com a modelação geométrica CAD e a selecção de recursos, de ordem e organização, podendo ser amplamente definido como o objectivo ou o raciocínio por trás da escolha do desenho de um determinado objecto que invoca a intensão do comportamento da estrutura e análise abrangente das definições do modelo CAD específicos e da intensão do projecto. Para definir a intensão de um projecto contida no legado dos sistemas de CAD, é necessário visualizar as variáveis do desenho técnico, como seja o desenho de objectos, restrições, estratégias alternativas, evolução construtiva, orientações, as instruções de fabricação e normas do desenho, que estão implícitos nas relações estruturais, semânticas e pragmáticas entre o material, a geométrica, as entidades dimensionais e as entidades textuais presentes na representação do modelo CAD.
Tal como definido aqui a intenção do projecto de desenho é a lógica racional por trás de cada “feature” contido num modelo de CAD incluindo as restrições impostas sobre eles, como os parâmetros que definirem-nos e sua organização, sendo então a captando da intenção do desenho um aspecto essencial da modelação CAD, mas as as questões da intenção do desenho são os mais frequentes na análise do desenho que é desconhecido e que a intenção do desenho é necessária para a compreensão dos desenhadores para aceder e reutilizar esses desenhos e a importância de ser capaz de distinguir a intenção do desenho, a fim de reutilizar um desenho, o que requer determinar quais recursos e esquema organizacionais são consistente com uma comunicação adequada e para a facilidade de alteração necessária para estabelecer num sistema de CAD através de uma abordagem independente para a modelação.
A compreensão da modelação CAD e intenção do desenho requer um entendimento de como as ferramentas CAD actuais, estão organizados e como funcionam, sendo que a maioria das ferramentas de alto nível dos sistemas de CAD são modeladores paramétricos, sendo os “feutures” CAD elementares como blocos, furos ou manipulações dos esboços para formar geometrias complexa, estas características são dependentes de cada determinado pacote de CAD, sendo um “feuture” definido como: sendo que as formas genéricas ou as características de um produto com o qual os engenheiros podem associar determinados atributos e conhecimentos úteis para o raciocínio desse o produto.
Esta definição de um “feuture” está relacionado para a intenção do desenho, o “feuture” proporciona conhecimento sobre o produto, os “feuture” são controlados por parâmetros e limitações, quando adequadamente aplicadas estas permitem um modelo ser facilmente alterado, no entanto existe pouco trabalho empírico global na área de relacionada com os atributos da intenção de desenho do modelo, podendo haver inúmeros atributos promovendo a intenção do desenho adequado, que incluem o local apropriado e orientação base do “feauture”, uso da simetria simples e a definição dos esboços, terminar e duplicar os “feutures” de forma correcta, podendo haver a preocupação com o tempo de construção inicial, e não haver a devida preocupação com a sua avaliação à intenção do desenho adequado. Poderá talvez haver falta de resultados empíricos abrangentes e receitas associadas são ma lacuna significativa e prejudiciais ao ensino da modelação CAD, sendo que não existe concordância sobre o processo de modelação propriamente dita o foco torna-se produzir a geometria final e pouca atenção é dada ao processo.
Por vezes pode-se observar que é dada muita ênfase em que icon carregar e ou apertar, este conhecimento declarativo é focado em como executar comandos num dado sistema de CAD, mas educação CAD deve ser mais do que isso, deve de ser focado no conhecimento processual ou estratégico que implica planeamento e desconstruir um modelo complexo em formas (“feutures”). Este tipo de conhecimento pode transcender a um sistema de CAD ou a uma versão particular e o mais importante para os alunos é que aprendem o conhecimento é facilmente transferível, dado o número de sistemas de CAD disponíveis e a taxa em que eles se actualizam. Tentara se apresenta alguns procedimentos de modelação e “feutures” que facilitem compreensão do modelo e a sua alteração e o que poderão pensar sobre os atributos da modelação e dos atributos que são associados com melhor compreensão do modelo e alteração.
3. Metodologia
Para o estudo da compreensão e modificação de modelos CAD, um exercício foi realizado através de metodologias dum projecto mecânico usando Autodesk Inventor, havendo também outros caso em que se utilizou o SolidWorks. O exercido em causa pode ser o desenho que pode ver na IMAGEM01, que foi do livro de “Desenho técnico moderno” dos Doutores “Arlindo Silva, João Santos e Luís Sousa”.
exercicio1
IMAGEM01
O exercício pode ser realizado em duas fases, através de dois grupos, um grupo para o nível inicial e outro para o nível avançado, ambos com a mesma metodologia de avaliação e o objectivo é ter uma distribuição de grupos com o nível de perícia semelhante. Sendo o primeiro grupo do nível inicial divido em dois subgrupos, com base no seu desempenho num exercício como de um modelo CAD similar. O segundo grupo de nível avançado também foi divido em dois subgrupos aleatoriamente.
Na primeira fase o grupo do nível inicial foi informado de que seu objectivo era o modelo de componente na IMAGEM01 e deveriam de o desenhar o mais rapidamente possível, sendo atribuído uma pontuação de 0 a 10 pela conclusão do desenho, e diferenciar em três grupos (os que tiveram as notas alta, médias e baixas). Ao segundo grupo, o de nível avançado o objectivo era projectar a o componente da IMAMAGEM01, sendo este grupo informado que deviam de modelar o objecto de forma a ser posteriormente ser se facilmente alterado por outros colegas, sendo também dada importância em finalizar o mais rapidamente possível a peça, e sendo atribuídas postulações de 0 a 10 com a noção que podem pontuar mais na fase seguinte se os desenhos forem facilmente alterais e diferenciar em três grupos (os que tiveram as notas alta, médias e baixas).
Os alunos não tendo conhecimento do projecto alterado, quando estes estivessem a desenhar os novos modelos, porque isto é consistente com os cenários industriais onde a revisão dos desenhos não são conhecidos nas fases iniciais do projecto. Os alunos podem ter 60 minutos para concluir a modelação do componente, quando os estudantes pensavam ter completado o exercício notificavam um dos formadores, que em seguida inspecciona o seu modelo de precisão, uma vez que o modelo fosse considerado correcto, o tempo de conclusão era anotado.
Na segunda fase os alunos são novamente divididos em dois grupos da mesma forma como na primeira fase do exercício. Os modelos CAD dos alunos que terminaram no terço grupo com notas altas de cada grupo em uma fase são distribuídas para outros grupo a serem alterados, três estudantes tentam depois alterar cada um dos modelos. Os modelos são distribuídos para os alunos com base nos seus tempos de conclusão da primeira fase do exercício - os grupos foram divididos em três com base no tempo de conclusão. Cada aluno em cada grupo (que contém um terço dos estudantes de grupo particular) recebeu um dos modelos a serem alterados. Os alunos têm 60 minutos para concluir a alteração do modelo da IMAGEM01 ao mostrado na IMAGEM02. Os alunos não podem estar cientes dos grupos que alteraram o modelo, desde que o modelo que alterado por ele. Quando os alunos concluíram a alteração do projecto (ou os 60 minutos prazo tinha expirado) são solicitados a avaliar o projecto usando três métricas acima referidas.
exercicio2
IMAGEM02
Podendo depois ser solicitados a classificar a intuição de organização e ordem dos “feauture” do modelo. Isso pode ser se feito usando uma escala de sete pontos (1-definido como nada intuitiva; 7 - definida como muito intuitivo), podendo ainda ser convidados a dar uma nota geral para ao modelo, novamente podendo usar uma escala de sete pontos (1 - significando que o aluno teria receio em modelar com um modelo como este; 7 - significando que o aluno teria o prazer de trabalhar modelar um modelo como este). Poder-se também pedir para classificar como determinados atributos de modelação em seriam úteis para a sua alteração do modelo original, podendo mais uma vez ser se em uma escala de sete pontos (1 - faria o modelo muito pior, 7 - seria muito útil), sendo os atributos de avaliação: 1) atribuir nomes aos “feautures”, 2) o uso de “feautures” mais complexos e 3) a utilização de “feautures” mais simples, 4) o uso de “pattern’s” e relações matemáticas; 5) o uso de cópia e características de espelho; e o 6) uso da geometria de referência para os “feautures” de referência. Estas avaliações devem de adquiridas de forma anónima podendo ainda classificar a raiz do modelo original de cada grupo o que incluiu três classificações para cada modelo.
4. Resultados
A análise estatística dos resultados dos exercícios de modelação e as suas alterações podem ser através dos sistemas de CAD SolidWorks e Autodesk Inventor. Atributos para os modelos originais podem ser comparados para cada grupo, e as correlações entre os atributos podem ser avaliadas, assim como os atributos dos modelos modificados podem se ser comparados para cada grupo original; e as correlações entre os atributos dos modelos alterados também podem ser avaliados estatisticamente. Seguindo se a comparação entre o modelo original e dos modelos que foram alteradas a partir do original. E finalmente os dados dos alunos que responderam ao inquérito que sendo estes apresentado por grupos e pelos sistemas de CAD.
5. Limitações
As limitações do primeiro e mais importante deste trabalho referem-se a amostra de desenhadores que criam e alteram os modelos. Como mencionado anteriormente, o tamanho da amostra pode ser limitado como por exemplo a nível sénior, podendo também não haver grupos que preencham a distribuição aleatoriamente de perícia, se houvesse um número maior de amostras poderia haver conclusões mais definitivas e estratégias a serem tomadas, e o risco dos grupos serem apenas composto por alunos, o que pode facilmente distorcer a maneira pela qual eles modelão, ou até pode haver casos em que os alunos podem não ter conhecido qualquer maneira alternativa em que eles poderiam ter alterado o modelo ou a geometria. Podendo ser mais tarde comparar os procedimentos de modelação dos alunos com os dos utilizadores mais experientes de sistemas de CAD, pelo que aqui apenas se tenta estabelecer a independência dos resultados dos sistemas de CAD sendo limitada a duas a dois sistemas de CAD - SolidWorks e Autodesk Inventor. Podendo ainda ser usados outros sólidos mais complexo e para se ser amplamente aplicável, o exercício deve ser estendido para os componentes adicionais.
6. Conclusões
Este post apresentou um exercício educativo que aborda algumas lacunas identificadas na educação de sistemas de CAD tradicionais ou seja o foco na criação do modelo em oposição a alteração e baixo nível de pensamento declarativa que é um primeiro passo para usar a evidência empírica para criar uma “abordagem genérica” na intenção de um projecto de modelação CAD. Na modelação os “feuatures” mais complexos, mostram-se útil para reduzir o tempo de alterações, mas pesquisas adicionais poderão ser se necessárias para delinear o resultado da perícia de modelação geral e estabelecer a causalidade como isso pode haver contradições nas conclusões a partir dos dados que se possam a vir a analisar na criação de sólidos e a sua alteração através de utilizadores experientes de CAD.




























Autodesk lança uma aplicação gratuita para imprimir 3D

123D
Autodesk lança uma aplicação gratuita para a impressão de objectos 3D para as massas, que permite importar variadadas de extensões de outras extenções de modelos CAD 3D, como: “.SAT”; “.OBJ”; “.OBJ”; “.SKP”; “.DWG”; “.STP”; “.STEP”, e “.123D”

Questionário

questionario

Este “QUESTIONÁRIO DE SATISFAÇÂO” é uma necessidade de avaliar o desempenho da qualidade deste bloque ao longo deste tempo e a necessidade de avaliar os serviços como uma realidade crescente podendo assim ir às necessidades cada vez maiores das estimativas dos custos/benefícios dos posts colocados e para aferir o maior grau de satisfação dos leitores.

CAD/CAM para gerar órgãos

Esculpir um molde de cera perdida de uma orelha para a realização de uma prótese definitiva de um paciente que teve uma cirurgia ablativa da orelha pode ser um desafio, pelo que exige anaplastologistas qualificados, juntamente com instrumentos complexos capaz de realizar varreduras a laser facial e reproduzem os detalhes anatómicos. O objectivo deste post é apresentar uma técnica para criar um molde de varredura a laser de um molde inverso da orelha existente, através de um digitalizador a laser 3D é se desenvolvida de um sólido 3D da imagem da orelha integrada no ouvido afectado. A recolha dos dados é feita através de uma máquina de prototipagem rápida que fabrica a orelha resina definitivamente. 
O tratamento cirúrgico ablativo do cancro facial do maxilar pode causar desfiguração facial e consequentemente distúrbios psicológicos. O envolvimento de órgãos facial frequentemente causa grandes dificuldades em termos de relações sociais e consequentemente económicos. Os pacientes podem recorrer a restauros usando retalhos microvasculares, mas alguns pacientes não podem receber esse tipo de cirurgia por causa da idade ou condição médica geral, em tais circunstâncias uma prótese facial poderia servir como uma alternativa viável definitiva.

Cursos de verão

Como uma organização multilateral aberto à adesão de novos países e absolutamente comprometida com a promoção e desenvolvimento da Nanotecnologia, INL gere e administra vários programas educativos e de investigação especificamente orientada para incentivar as capacidades e conhecimento em nanociências. A este respeito, o INL lança cursos de verão, um programa para alunos portugueses e espanhóis do segundo ciclo universitário e interessados ​​numa carreira de investigação em nanotecnologia. Trabalho sobre os avanços tecnológicos, este programa do INL oferece uma componente bastante prática, seja por as “mãos na massa”, o programa de formação avançada em projectos de pesquisa com cientistas do INL vai ser durante dois meses (Julho e Agosto de 2011) em Braga. Sendo uma importante oportunidade para académico de partilhar as etapas da investigação inicial de uma comunidade internacional e multidisciplinar, formada por cientistas e engenheiros de todo o mundo.
Para a mais informação consulte a seguinte hiperligação: http://www.inl.int/work-employment-opening.php?id=58

Posições TCP

Resumo
Ponto central da Ferramenta (Tool Center Point) de um robot industrial são posições de elementos críticos de manipulação em aplicações dos programas desses robôs industriais. As suas medições precisas dependem da geometria real e das posições dos componentes de uma célula do robô. Pequenas mudanças de componentes, tais como as posições dos robôs, dos seus terminais, dos seus dispositivos eléctricos, das peças nas células robô que farão variar as posições TCP do robô usada em programas existente do robot.

CAD para conduzir robôs manipuladores

No “Institute of Robotics and Intelligent Systems” é usando modelos de CAD na abordagem baseada do controlo visual para visualmente conduzir a manipulação robótica em escalas micro e macro, além disso estão a trabalhar em métodos robustos para registar modelos CAD com formas complexas e com arestas do modelo espaçadas.
cad_medium

Modelação de sólidos em navegadores Web

Este vídeo é uma representação do passado presente e futuro da manufactura, através de sistemas de CAD.

Aplicação padrão ISO automatizando o planeamento

Nas aplicações dos vários sistemas de CAD sendo estes diferentes entre si, impedindo assim o desenvolvimento de produtos eficientes e automatizados, no planeamento de processos é especialmente um passo importante que determina a maioria dos custos de produção ou o sucesso da obtenção de um potencial pedido, como a etapa entre o desenho técnico e a produção, planeamento de processos é importante para a fabricação de um produto de uma forma económica. Neste post discutira-se sobre os requisitos necessários para o planeamento do processo automatizado e do desenvolvimento de produtos eficientes, além disso é apresentada uma possível ideia destinada a inovar o desenho de um produto focalizando-se sobre o planeamento do processo automatizado, por isso em alguns aspectos relacionados com a característica do projecto são baseada na representação de dados de produtos padronizados com a norma ISO 10303 e a troca de dados através de ficheiros STEP neutros, e sobre isso focando os protocolos de aplicação e as suas causas de falta de implementação, que revelam.

Sistemas CAI

1. Introdução
CAI – “Computer Aided Innovation” teve uma evolução significativa nas últimas décadas. Além disso, o desenvolvimento dos processos de novos produtos em muitas empresas assim tendo a indústria mudado completamente nos últimos anos. Nos últimos temas dos processos foram o tema foi sempre abordado de forma bastante caótica e intuitiva ou burocrática e lenta e na melhor das hipóteses apoiados por aplicações de tecnologias de informação padrão como seja o caso de programas de folhas de cálculo ou processadores de texto. Actualmente os processos de inovação são frequentemente processos definidos e complexos, com suporte a aplicações sofisticadas e com vários agentes internos e externos. A crescente oferta de aplicações específicas relacionadas com a inovação de apoio aos processos o que ajudam a introduzir novos métodos para no desenvolvimento dos processos de novos produtos que são uma das categorias de CAI, no entanto essas ferramentas inicialmente são focadas no “emprego orientado à inovação” e à inovação fechada.

Claytrônica

A combinação robótica modular, de sistemas de nanotecnologia e ciência da computação para criar uma exibição dinâmica, tridimensional de informações electrónicas, conhecidas como claytrônica.
Claytrônica desenrola-se na fronteira mais avançando, esta tecnologia vai ajudar a conduzir deslumbrantes avanços no Desenho Técnico e das engenharia de sistemas de computação e hardware.

Gerar sólidos através funções

1. Introdução
Neste Post é apresentado um modelo de resolução de formas com uma abordagem à modelação CAD. As formas são representadas por pontos de funções em que a aplicação e edição da intenção dessas formas pode ser complexo modelar em CAD, para que a aplicação de algoritmos seja de múltiplas deformações desenvolvidas para cada caso especifico através da continuidade de edições e recatamento da intenção de optimizar numericamente os vectores ao longo dos limites. Uma interface de visualização CAD comercial simples pode ser implementada para a aquisição e visualização dos modelos CAD com base nos dados de engenharia e modelação que podem ser um complemento útil e actual aos para sistemas CAD actuais que fornecem uma modos de modelação poderosos e com vastos recursos de edição, para a optimização de uma sequência de movimentos, mas isto pode representar o problema, seja no encontrar a sequência ideal de um processo eficiente ou que não demorem a executar durante as mudanças de direcções, a determinação de uma trajectória ideal que tem o menor número de mudanças e de orientação e essas reorientações numa sequência de montagem têm um impacto significativo no tempo de montagem como para um braço robótico e dos processos de montagem do operador humano.

Nos sistemas CAD actuais fornecem vários métodos para modelação de objectos, como por exemplo os modelos de superfície, os modelos sólidos que representam se com a geometria sólida construtiva e representação de fronteiras que representam as superfícies limites e as suas topologias.
A manipulação directa da função pode permitir mover um único ponto para um específico valore de vectores. Com base nessas especificações, as restrições são desenvolvidos e um tipo de mínimos quadrados da solução para os pontos de controlo forem obtidas novamente.
O método dos elementos finitos tem sido aplicada também para gerar sólidos primitivos que constroem formas deformáveis e contínuas controladas pelo utilizador com sejam as restrições geométricas e cargas. A variedade da modelação de superfície é outra técnica que permite a manipulação directa para a edição de superfície, definindo um conjunto de restrições, tais como uma superfície de passar por uma curva, a nova superfície é uma solução de integrais extremos sujeitos a limitações.
No entanto, há um número infinito de possíveis representações e edição para a mesma superfície, a múltipla resolução pode ser útil em sistemas CAD. Um objecto pode ser editado em escalas diferentes para efeitos diferentes. Detalhes recursos podem ser mostradas ou ocultadas à vontade para facilitar o processo de edição. O ponto final interpolação transformação da superfície de desenvolvido está confinado a uma trajectória de um determinado produto as técnicas para aplicar a transformação em várias trajectórias para que possam ser mais úteis em sistemas CAD. Para o caso simples de uma trajectória de um seno que se ajuste os mínimos e máximos numa única trajectória.
Para demonstrar as capacidades de edição e modelagem de métodos baseados em modelos de transformação da modelação por meios para a edição de, tridimensional edição.
Para gerar do modelo CAD foi realizado um algoritmo em MATLAB, o Script acima mostra a função na linha 5 que permite realizar a desejada função “PLOT_RV.m”, o resto das funções “salva_malha.m”, “salva_grelha_malha.m”, “face_obj.m”, “explode.m”, gera a malha e guardam no directório de trabalho, como se vê na imagem abaixo, o respectivo ficheiro .OBJ da ALIAS.
 
As hiperligações para as funções estão sobre os nomes acima dos respectivos ficheiros, podendo assim ser se útil a qualquer pessoa que queira realizar modelos CAD 3D-OBJ de funções polinomiais através da alteração de valores em “PLOT_RV.m”.
Para a visualização e fácil manipulação foi depois exportado para a extensão .DXF, através do MeshLab.
Os ficheiros também podem ser todos descarregados da seguinte hiperligação.
O princípio básico do 3D algoritmo e da sua forma desenvolvido neste Post é implementado através o MATLAB como se vê na IMAGEM abaixo.
sin
Pode-se concluir que a modelação aqui apresentada é pela forma de cálculo e do deslocamento dos pontos e do modelo CAD de reconstrução, também se apresenta a funcionalidade do desenvolvido para execução de processos apresentados de uma forma adequada e exacta e a validade da aplicabilidade do programa. Os métodos desenvolvimentos adicionais serão necessários para enfrentar uma ampla gama de situações práticas que envolvam por exemplo topologia de reconstrução.
2.1 -Malhas
Com base na definição de um modelo CAD flexível e integrado no gerador de malhas cria-se uma malha triangular malha em cada face do domínio computacional. Em um segundo etapa com base na malha existente face, um volume tetraédricos rede que é gerado no volume fechado por todas as faces do modelo. A malha é ideal para zonas refinado borda onde efeitos são esperados, ou sobre as superfícies que são adjacentes para a abertura de refinamento da malha. Por outro lado elementos grosseiros são gerados em qualquer outra posição, permitindo confiável resultados numéricos com um número restrito total de elementos
3 – Conclusões
O resultado da aplicação em MATLAB pode ser vista na realização de uma trajectória do braço robótico IRB 140 através do Robostudio, teve de ser realizado um modelo CAD para a delinear uma trajectória “Path_10” que se vê no vídeo abaixo.

CAS para inovar no desenvolvimento do produto

O Desenho técnico faz parte da cultura da engenharia, esboços que auxiliam os desenhadores projectistas de produtos durante as várias fases criativas do desenho e ajudam a desenvolver novas inovações. O esboçar num papel com um lápis ou caneta é muito útil, mas carece de funcionalidades, principalmente porque é algo separado do resto do processo do CAD. Contudo, as ferramentas CAD ainda não são tão eficaz como a naturalidade e expressividade se tem em esboçar como o como lápis e papel, apesar de permitir uma integração completa com as fases subsequentes do projecto de processos (CAD, CAE, CAM, etc.) e outras funcionalidades interessantes. Era interessante poder esboçar num CAS (Computer-Aided Sketching), poderia ser uma ferramenta que fornece ao usuário um ambiente de esboço de que necessitam para fazer pleno uso dos seus talentos de um desenho conceitual e de inovador, proporcionando assim uma maior integração com as fases subsequentes do projecto de processos (CAD, CAE, CAM, etc.).

Feliz Natal

postal
Postal de Natal
"Fuga para o Egipto"
Vitral da Capela da Mór da Igreja do Mosteiro de Stª Maria da Vitória

Carregador

Depois de tantas as viagens atribuladas dentro da mochila, o carregador no meu Asus começou a ficar com o sinal dos Led's  intermitente, acho que não passava bem a corrente entre o adaptador e o carregador, pelo que ás vezes trabalhava bem e outras nem por isso. Ao observar o cabo coaxial de alimentação, pode ver perfeitamente bem que este estava partido por dentro, resolvi abrir com um com uma simples chave de fenda e um martelo. Havia depois que dessoldar os fios para os cortar. Após o corte dos fios que pareciam estar partidos e voltar a coloca-lós novamente, segui-se o ligar e ver se LED ligava. E pronto voltar a fechar o carregador com cola. Abaixo deixo as imagens desta pequena poupança.
001

Representação através de XML

Um modelo eficiente de comunicação entre os sistemas de CAD, CAM e aplicações na fabricação de planeamento em ambientes distribuídos tem sido visto como ingrediente chave para o desenvolvimento das empresas. A integração do modelos de desenho mecânico com o processos de agendamento e informações em tempo real são necessários para aumentar a qualidade do produto, reduzir o custo e encurtar o ciclo de fabricação do produto. A representação baseia-se em normas estabelecidas para a troca de dados do produto e que servem como um protótipo execução dessas normas. Os modelos de processo e produto são baseados na representação orientada do objecto da geometria, recursos e processos de produção resultante. Relacionamentos entre o objecto são explicitamente representadas no modelo (por exemplo, a precedência das relações recurso, sequências de processos, etc.) O modelo do produto é desenvolvido utilizando uma base para a representação XML de dados de produtos necessários para o processo planeamento do modelo de processo que também utiliza representações XML dos dados necessários para o agendamento e do controle. Os procedimentos para a escrita e análise de representações XML são desenvolvidas em abordagem orientada a objecto, de tal forma que cada objecto do modelo de objecto orientado é responsável por armazenar seus próprios dados em formato XML. A abordagem é semelhante a adoptada na leitura e análise do modelo XML. Análise é realizada por uma pilha de manipuladores de XML, cada um correspondendo a um objecto específico em XML e ao seu modelo hierárquico. Esta abordagem permite a representação flexível, de tal forma que apenas uma parte do modelo (por exemplo, apresentam apenas dados, ou apenas a parte do plano de processo para uma única máquina) pode ser armazenado e analisado com êxito em outro aplicativo. Isso é útil abordagem muito directa para aplicações distribuídas, no qual os dados são passados na forma de XML para permitir fluxos em tempo real de comunicação em linha. A viabilidade do modelo proposto é verificada em alguns cenários para que o planeamento da produção distribuída se envolva o mapeamento de recurso de um arquivo CAD, processo de selecção de parte vários projectos integrados com a programação e simulação do modelo utilizando rotas alternativas.
CIM – “Computer Integrated Manufacturing” ainda é um assunto não estável na fabricação de engenharia mecânica, na investigação e em aplicações industriais. Existe inúmeros relatos descrevendo ilhas individuais de automação em modelos CIM, com um significativo esforço de trabalhos de investigação a ser evidenciados em uma tarefas específicas, e muito menos no esforço e dedicação à integração destas tarefas de planeamento e engenharia de manufactura. A integração envolve a transferência de dados entre as aplicações, mas também deve centrar-se nos dados, na integridade do modelo, no processamento distribuído de dados, na incorporação de conhecimentos nas tarefas de planeamento, e assim por diante. O CAPP – “Computer Aided Process Planning” é justamente considerado como a integração do fabrico para com os sistemas de CIM com as suas relações de desenho técnico e com os sistemas de CAD, e a manufactura com os sistemas de CAM, programação e controle de tarefas. Em virtude de ser um integrador entre CAD, CAM e o agendamento/controle de programação, o processo de planeamento envolve processo de tomada de decisão em vários níveis de detalhes com o objectivo final de gerar viável e/ou óptimo um plano de processos. A necessidade de integração requer que esse modelo seja transparente entre essas tarefas e que seja facilmente guardadas ou transferidos. Serão vistos modelos de dados neutros na forma do modelo XML e descrevem os seus detalhes e aplicação no planeamento da manufactura, na segunda parte descreve exemplos de trabalhos no plano de representação e modelação de processos, na terceira parte descreve o processo de planeamento do modelo e do objecto da representação PPRM, que inclui entidades importantes e relações entre eles, na quarta parte explica-se o processo de planeamento e representação XML que é construída para o modelo de objecto PPRM e descreve métodos para gravar dados em formato XML e analisar o XML em modelo de objecto, mais abaixo explica alguns cenários de integração entre o mapeamento de recursos, processo de selecção, programação e controle de FMS utilizando dados em formato XML que descreve assim caso de estudo que poderá ser se realizado para verificar a abordagem.
A representação de dados de CAD e do seu conhecimento no planeamento de processos são assuntos de relevância na indústria contemporânea. Um dos trabalhos em que uma linguagem para especificar o processo de uma representação gráfica de processos de fabricação e os seus meios para especificar em serial, ou paralelo assim como tarefas simultâneas, podem ser abordadas representações de conhecimento usando enquadramentos e regras ou um objecto modelo de dados orientado. A Norma Internacional para a troca de modelos de dados STEP foi desenvolvido para permitir a transferência de dados entre aplicações, que inclui dados do processo. Os resultados recentes são da geração específica do processo de linguagem como um formato neutro para a especificação do processo de representação e intercâmbio de diferentes ontologias ou semântica entre vários domínios. O desenvolvimento dos processos de planeamento específicos de tarefas, e de trajectórias em máquinas CNC dentro do padrão dos ficheiros STEP têm desenvolvido imenso trabalho em converter para o formato XML, sendo esta uma linguagem mais flexível, que transfere os dados e sua descrição (meta dados) solicitada e o seu uso generalizado que pode ser simplificada através de investigação na área tais como as similaridades e as diferenças entre STEP e XML, e sua convergência.

Máquina 63688


A aplicação no filme acima um órgão mecânico, pode servir para a limpeza de automóveis através de movimentos adjacentes, ou também pode servir como um mecanismo de acesso a um determinado local, tanto para objectos em movimentos como automóveis, animais que tenham de transitar de uma secção para outra, ou mesmo para acessos a zonas específica, que tenha apenas um sentido, este dispositivo mecânico pode também servir para a utilização de utentes num local de espera ou tráfico intenso de pessoas para um determinado local, nesses casos apenas será necessário fixar o perfil, podendo ou não ser adaptada a levar outros acessórios dependendo da situação e ou local.

Concepção do desenho num projecto

O desenho técnico utiliza uma variedade de recursos simbólicos e materiais durante a fase do projecto conceitual tais como as pessoas (recursos humanos), social e os recursos tecnológicos são utilizados como ferramentas para interpretar um resumo do projecto e de trabalhar para uma determinada solução. Os meios etnográficos sobre as actividades de ferramentas e estratégias de mediação desenvolvidas por desenhadores freelancer de peso médio. Empregando explicitamente diagramas de interacção entre os sujeitos, e ferramentas conforme as suas funções oferecendo se assim uma nova visão sobre o processo de tomada de decisão do projecto, em especial a importância da ferramenta de mediação para a realização de tarefas durante a concepção desenho.
1. Ferramenta mediada no problema, e a solução iterativa no desenho
Tal como acontece com outras disciplinas de desenho, a fase inicial de abordar um breve desenho envolve a geração de ideias, em particular a interpretação dos parâmetros, o desenho das respostas iniciais. A ideia do estágio é a geração definida, portanto, como o período a partir de quando o desenhador começa investigação real e na investigação dos problemas de projecto, através de pesquisa e criação de ideais visuais, até aquele ponto em que o desenhador começa a preparação da apresentação do cliente. Nesta fase inicial é observado uma série de tomada de decisão pessoal e actividades criativas, juntamente com o uso de ferramentas e estratégias preferenciais.
Este complexo jogo de estratégias e instrumentos utilizados na resolução dos problemas contemporâneos do desenho contemporâneo não é bem compreendido até o momento, embora seja um aspecto fundamental de toda prática de desenho, assim como nem são as interdependências entre as fases do processo de decisão no processo interactivo normal de resolução de problemas particulares.

Simulação de sistemas orientados para serviços

A modelação e a simulação têm um papel importante no contexto dos sistemas de produção distribuída, pelo que tem como objectivo serem eficientes e inovadoras em colaboração e integração com o desenho CAD 3D e do desenvolvimento de actividades de sistemas de manufactura e dos seus respectivos produtos. A modelação e simulação podem ser descritas como sistemas de manufactura virtual, orientados para os serviços. A colaboração em rede causada, pelo crescimento distribuído globalmente dos mercados, e das tecnologias da informação e comunicação, e da especialização das empresas em fabricação micro, meso e macro e das suas respectivas competências essenciais levando assim cada vez mais a actividades complexas de fabrico na produção em rede e a importância do trabalho cooperativo torna-se assim um factor crítico. Os sistemas de produção distribuída abordam num ambiente integrado, centrado na complexidade das actividades de produção e suas ligações. Esses sistemas podem ser geridos por entidades autónomas e/ou cooperativas capazes de cumprir as suas actividades individuais e de colaborar num ambiente em mutação dinâmica. A complexidade dos sistemas de produção exige informação e conhecimento a ser gestão digitalmente e da Web.
Daí emerge a necessidade de uma maneira formal para apresentar as informações e conhecimentos, com uma abordagem orientada aos produtos, podendo levar a informações simplificadas e à gestão do conhecimento. Uma parte essencial dos sistemas de produção virtual é a utilização de modelação e simulação através dos processos de ideias para as respectivas soluções. A partir da modelação e simulação, os princípios pelos quais as soluções são alcançadas podem ser analisadas e comparadas adequando as soluções alternativas seleccionadas para análise detalhada antes da realização sua definitiva podendo assim conduzir se soluções sustentáveis, reduzindo o valor da não adição de actividades do um aumentar da reutilização de informações e conhecimentos na colaboração.
O conceito de sistemas de manufactura visa permitir uma produção colaborativa e autónoma para responder mais eficazmente aos desafios em que estão em constante mutação dinâmica nos vários mercados globais. O objectivo é integrar o CAD e o desenvolvimento do produto, em sistemas de produção e processos de comercialização, apoiando a inovação de ideias e visões de com resultados eficientes. O conceito de sistemas de manufactura é efectuado através de actividades orientadas para os serviços e aprendizagem baseada em requisitos de ligação com as capacidades existentes e com as possibilidades futuras. A informação e o conhecimento dos sistemas de produção é armazenada digitalmente, o que torna possível ter informações actualizadas e do conhecimento como evolui a cada actividade de manufactura. Isso permite que a precisão da informação e do conhecimento para se ser utilizado como base da futura na concepção e desenvolvimento das respectivas actividades.
Os blocos básicos de construção dos sistemas de manufactura são entidades de produtos, recursos e ordens, bem como os seus domínios relacionados com processo de fabricação, produção e comércios. As entidades, apesar de estar envolvido em actividades de produção diferentes, têm estruturas semelhantes em geral. Da mesma forma, os domínios de produção têm papéis diferentes, e as actividades de colaboração conjunta de entidades e domínios compõem o sistema de produção total, como se vê na figura (a,b) abaixo, a estrutura dos sistemas de manufactura e sistemas de identidade de fabrico.IMAGEM01

Micro braço


Investigadores chineses construíram um braço robótico simples e extremamente forte, sem o uso de motores e sem qualquer tipo de controlo electrónico.
Como dispensa inteiramente as ligações físicas e eléctricas, este braço robótico representa uma prova de um conceito extremamente prometedor no desenvolvimento de manipuladores bio-compatíveis ou para a recolha de amostras ambientais.
Tendo sido construído com um músculo artificial e o funcionamento deste braço é inteiramente controlado através da com luz visível (a luz que lhe é incidida sobre o braço).

Simulação

A simulação seja a experimentações com/alguns modelos de um sistema de interesse pode ser considerado num sistema que já existente, num sistema projectado, ou num sistema totalmente imaginário. A simulação ajuda a reduzir a incerteza no processo de decisão, permitindo-nos explorar muitas alternativas contra os custos relativamente baixos e apresentando conhecimento sobre artefactos projectados em diversos níveis de abstracção, como ferramenta de comunicação também nos permite obter uma especificação refinada das necessidades do cliente, expondo potenciais clientes para soluções alternativas de concepção num ambiente de RV. Uma questão importante em qualquer simulação é o quanto nós confio nos resultados da simulação. Este papel da simulação no processo industrial, inovador, e sustentável também nos torna mais conscientes da falta de uma base científica adequada para o trabalho de engenharia. Na melhor das hipóteses, as pessoas tentam aplicar teorias modificadas da ciência. Isso, porém, resulta em uma incompatibilidade evidente que a ciência lida com questões perguntando sobre a vigor que a engenharia que é sobre a criação de (hoje) não existente.
A relação entre o sistema de interesse e seu modelo associado é mostrado na figura abaixo. O modelo é uma representação abstracta do sistema de interesse e idealmente, a partir do comportamento do modelo, é possível tirar conclusões sobre o sistema de interesse. Da mesma forma, a partir do comportamento observado do sistema de interesse, é possível tirar conclusões sobre o modelo.
IMAGEM01
Nos sistemas de RV os cinco principais usos diferentes e sistemas de simulação virtual poderão ser distintos, dos quais os dois primeiros e o quarto são os mais relevantes para a área de produto virtual e desenvolvimento da produção:

Hinduísmo

Alturas em que se tem de se comparecer em tradições da religião, e ter se noção dos vários processos de um casamento Hindu.
IMAGEM01

Manufactura Virtual

Uma descrição de modelação num sistema de RVm – realidade virtual de manufactura é uma fase de um projecto que requer simulação, verificação, validação e certificação, bem como a utilização da simulação como uma ferramenta para reduzir a incerteza. O papel do ser humano em diferentes fases/actividades em projectos de simulação é de destaque como, por exemplo, os casos da monitorização, e diagnóstico baseado em optimizações das simulações. Em particular, a base científica associada ao nível "utilizador de excelência" poderia beneficiar comunidade virtual da indústria na concepção e desenvolvimento de processos de produção, através dos domínios de aplicações de "M & S" – modelação e simulação.
RVm é um subconjunto do produto virtual e do desenvolvimento da produção, este último pode ser dividido em três domínios: produto, processo e recursos (fabricação de máquinas, ou automatismo ou integração de ambos, tais como linhas de produção ou células).

Identificação de objectos 3D

A fusão de sensores supera as limitações do sensor individual e permite adquirir valores particulares para uma determinada tarefa, quando um tipo de sensor não consegue fornecer as informações fundamentais pode se ser necessário complementar a observação a partir de um outro sensor dentro desse subsistema para preencher qualquer tipo de lacuna. Podendo vários sensores ser combinados para melhorar a confiança da precisão da medição e do reconhecimento do objecto. O conceito do sensor num subsistema pode ser generalizado para um sensor virtual, o modelo de um sensor abstracto que obtêm dados/informação de um ou vários sensores reais.
Poderá ser se necessário aplicar um algoritmo SOM (Self-Organizing Map) para resolver o problema da fusão dos sensores devido da diferenciabilidade do espaço aonde intervir. Para a demonstração supõe-se um objecto 3D com várias características importantes que são observadas por um ou vários sistemas sensoriais, sendo que cada aspecto relevante para um o sensor virtual. Isto depende da posição do objecto relativamente à posição do observador, podendo assim os valores alterar e apenas um determinado subconjunto de dados são detectados com sucesso.

Trabalho colaborativo

O projecto Butterfly é um visualizador da Autodesk, que permite ao utilizadores do AutoCAD editar e colaborar desenhos do no formato nativo do AutoCAD através de um navegador de internet. Com esta aplicação o projecto Butterfly, utilizadores do AutoCAD podem partilhar e trabalhar com colegas, funcionários e clientes ficheiros nativos do Auto CAD, a partir de qualquer computador com ligação à Internet, sem se ser necessário ter o AutoCAD instalado nessa máquina.

Modelação em CAD do invólucro

Na modelação CAD – "Computer-Aided Design" foi utilizado a versão de estudante do "Autodesk Inventor Profissional", do ambiente envolvente do robô, como se vê abaixo na imagem.
IMAGEM01
A concepção dos modelos em CAD, consiste inicialmente em empregar os dados modelos para uma simulação automatizada de numa célula automatizada de preparação de trabalhos, estando a dada simulação específica no projecto em contínuo desenvolvimento, pelo que podem se ser necessário modelar mais elementos de CAD 3D, seja após a elaboração dos modelos e as transferências para o modelo de simulação o "RobotStudio", processara-se à monitorização e avaliação do desempenho, dos robôs na da célula trabalho e as possíveis interferência nas trajectórias do robô.

Krypton pra SW

A Autodesk Moldflow lançou um novo add-in chamado “Project Krypton” – http://labs.autodesk.com/utilities/krypton.
Este add-in permite ajudar as pessoas que estão a modelar peças de plástico por injecção de molde, na fase inicial do projecto, seja durante a modelação CAD a pessoa é provida de informação orientada/reorientada sobre a interpretação ou de melhor acção a executar em tempo real sobre (1) Manufacturação, (2) o custo de eficiência e (3) impacto de material plástico, do modelo que está se a ser projectado.

Representação Geométrica

A geometria de um manipulador robótico está convenientemente definida pelas juntas dos referenciais de cada eixo. Enquanto esses quadros poderão ser localizados de forma arbitrária, é vantajoso para a coerência e eficiência computacional aderir a uma convenção para a localização dos quadros em as ligações.

Funções do Robô IRB 140

O Robô IRB 140 têm várias funcionalidades, tais, como soldadura por arco, laser, plasma, ponto, pelo que fornecem uma grande precisão repetitiva para que o acabamento e qualidade das partes em que consistem. O que leva a uma melhor qualidade na consistências dos resultado entre as peças, e tempos de ciclos de produção curtos.
Uma possível aplicação deste dispositivo, poderá ser para realizar colagens ou mesmo soldaduras e peças como as dos estaleiros de navios, pelo seu difícil manuseamento das peças e variado número de peças, ou mesmo no manuseamento de materiais/maquinação de desbaste, como apresenta no Gráfico nº1.
IMAGEM01

Produtividade através da digitalização


A actualização dos equipamentos de metrologia sem contacto com os objectos a medir, nesse caso podasse  se ser utilizado o digitalizador de mão (portátil) sem o contacto directo nos objectos a medir sendo através da medição obtidos registos gráficos CAD em  3D, aumentando radicalmente a produtividade do controle dos objectos. O digitalizador 3D permite aos engenheiros da metrologia uma completa e detalhada digitalização geométrica de viatura pequena ou partes, assim permitindo que possam realizar o controlo dessas peças em tempos reduzidos. Podendo estes digitalizadores portáteis serem deslocados para qualquer local, tendo depois que configurar o scanner e medir peças no próprio local. A interacção entre local, digitalizador e o software depende da velocidades de transferência até a digitalização e o seu armazenamento para pós-processamento e de análise.

Holografia usada na montagem de nano máquinas

Um laser e um holograma é tudo o que os investigadores do laboratório de micro fluidos da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos da América, precisaram para posicionar nano partículas de forma rápida e precisa no interior de um biochip. A técnica, Electrokinetic patterning rápida, é uma nova ferramenta no emergente campo dos biochips e micro laboratórios, verdadeiros laboratórios clínicos do tamanho de um chip, que poderão analisar amostras biológicas de forma quase instantânea.

Micro objectos

A miniaturização das coisas incorporadas nos mais diversos ramos da indústria, de aplicações médicas e domésticas tem vindo a ser uma realidade nos últimos anos. A evolução constante de técnicas de nano manipulação e da criação de novas aplicações e sistemas complexas e eficazes tem se vindo a massificar destes mini, micro e nano dependo da capacidade da reprodução dos seus componentes.
Quanto às produções de micro – componentes pode se ser classificado em dois grandes grupos, a micro – injecção e a micro – gravação.
IMAGEM01

Força

A inevitabilidade da colisão das trajectórias de um braço pode ser ponderada para partilha de espaços fechados com as pessoas. Poderá se pensar no planeamento das trajectórias do robô ponderando os espaços e invólucros (sub-espaços) da área volúmica de laboração.

História da robótica de manipulação

Robots! Os robôs na Lua, nos oceanos, nos hospitais, nas casas, nas fábricas, nas escolas, no combate de incêndios, e no fabrico de bens e produtos, economizam o tempo das nossas vidas.
Os robôs hoje têm um impacto considerável sobre os aspectos da vida moderna, desde da produção industrial à saúde, transporte e exploração do fundo do mar espaço e do mar, seja num futuro próximo, os robôs serão tão penetrantes e pessoais, como computadores portáteis hoje em dia. O sonho de criar máquinas que sejam hábeis e inteligentes têm sido parte da humanidade desde o início dos tempos. Esse sonho está se tornando da nossa realidade impressionante.
historia_robotica

Exposição em Loures

expo
Este fim-de-semana realizei uma pequena mostra do trabalho que tenho vindo a desenvolver com o IRB 140, no âmbito da robótica de manipulação no Laboratório de Controlo Automação e Informática Industrial, do IST.
A exposição individual está no GAJ – Gabinete de apoio à Juventude no Parque da Cidade, em Loures.

Fotografias 2D

Na indústria a reengenharia e a medição de objectos para realização em modelos CAD, por vezes tem tarefas que são repetitivas com frequência. O problema reside nos objectos de grande dimensão, obstáculos e poucos acessos. Nesses casos pode ser necessário utilizar processos de fotogrametria que carece de interpretação das fotografias através de um operador. Mas este processo para a medição de superfícies planas pode ser ineficaz, devido à luz à posição em está e pouca precisão, dai utilizar-se este método de fotogrametria no fim do processo para verificar, mas a grande conveniência deste tipo de medição é no baixo custo-efectivo e versátil. Pudesse considerar o caso dos cascos dos navios como referencia de neste caso. Quanto ao erro de precisão não pode variar mais que um milímetro, tanto as medições sendo realizadas manualmente seja através de lazer com um metro no máximo de distância, não sendo o mais eficiente, para evitar este tipo de problemas pode-se implementar a digitalização com o auxílio de um robô como vê no vídeo da hiperligação abaixo:

Processos de Prototipagem

Para determinados casos de prototipagem rápida, como seja o caso da tecnologia DMLS, os modelos CAD no formato STL, são depois convertidos para ficheiros SLI, que corta o ficheiro em secções mediante um plano, a espessura entre os planos normalmente costuma de um pouco menor que o grão do pó com que é impresso o protótipo. Abaixo ilustra-se a passagem de modelo CAD, STL, SLI, e a o envio para máquina.
IMAGEM01
O varrimento do lazer com os valores da velocidade e intensidade predefinidos, realiza a sinterização através de camadas dos pós(que é indicada no post anterior) é normalmente realizado através de dois eixos por exemplo “xy”.
O processo da sintetização do pó acontece como se vê nas figuras abaixo.